ღ SEGUIDORES ღ

Plantas suculentas são belas em suas variedades de tamanhos, formatos, texturas e cores. O pouco que entendo sobre elas, são de informações que pesquisei. Assim como os nomes e classificações. Já perdi algumas e continuo uma aprendiz, pois parte da experiência, são com as próprias plantas. Tanto as Suculentas como as Folhagens ornamentais tem suas preferências. Cada uma delas ensina: local preferido, ventilação, quantidade de regas, luminosidade adequada, horas expostas ao Sol, temperatura ambiente, solo adequado, boa drenagem e, assim todo cuidado específico com cada uma delas deixa o seu jardim, sua casa um ambiente agradável, uma energia que propõe bela harmonia com a natureza.
ღO AMBIENTE COM VERDE DÁ MAIS VIDA E ENCANTA...POIS VERDE É TUDO DE BOM!

20 de dez de 2012

✽Nomenclatura das plantas e classificação (nome botânico ou nome científico é um nome universal)

Tenho postado as minhas plantas, procurando na medida do possível colocar a nomenclatura correta conforme vou pesquisando. De tempos em tempos estava conferindo os nomes, em vários sites, mas às vezes há uma incerteza por perceber que tem uma certa mescla nos nomes de algumas plantas e que essa confusão também é de muitos. 
Mas é compreensível pelo fato que existem os sinônimos, variedades, cultivares, e híbridos de muitas espécies de plantas pelo mundo. Também tem algumas que pertenciam a um gênero e são transferidas para outro. 
Fui buscar informações em muitos sites.
No post anterior coloquei o tema sobre Nomeação das plantas, para se entender como é feita a identificação da planta seguindo uma regra. Eu mesma não entendia como é a regra da classificação e de certas abreviações na nomenclatura. 
Enfim, me ajudou a verificar o nome de algumas das minhas plantas, mas havia certos detalhes que gostaria de saber. 
Encontrei uma informação que explica esse tema de um modo simples, esclarecendo informações de que precisava, para um entendimento melhor, facilitando na busca pela nomenclatura correta das plantas. Acrescento nesta postagem.  
Apesar de conseguir identificar minhas plantas não posso dizer se todas estão o nome correto, pois sou uma apreciadora que se baseia na informações de vários sites. 
Como tenho curiosidade de saber sobre cada espécie e como cuidar de cada uma delas, também estou em constante busca de descobrir a classificação de todas. 
NOMENCLATURA BOTÂNICA*
O criador da nomenclatura botânica e da classificação das plantas foi Carl von Linné (Lineu, em português), botânico, zoólogo e médico sueco. Nasceu em 1707 e morreu em 1778.
O QUE É O NOME BOTÂNICO?
O nome botânico ou nome científico de uma planta é um nome universal, igual em qualquer parte do mundo, ao contrário dos diferentes nomes populares pelas quais é conhecida uma planta em diferentes locais do Mundo e até dentro do mesmo país.
COMO SE CONSTRÓI O NOME BOTÂNICO?
A classificação das plantas está organizada em categorias: 
Reino / Divisão / Classe / Ordem / Família / Gênero / Espécie. 
Isto é, o Reino as Plantas é composto de várias Divisões, cada Divisão possui várias Classes, cada Classe possui várias Ordens, e assim sucessivamente até à Espécie. E ainda se pode ir mais longe e encontrar subespécies, variedades e formas dentro da mesma espécie.
O nome botânico de uma planta é constituído por 2 palavras, a primeira das quais refere o Gênero a que a planta pertence e a segunda especifica a planta dentro do Gênero onde está integrada. Note-se que uma planta se identifica sobretudo pela Espécie a que pertence porque possui características comuns a plantas idênticas que as distinguem facilmente das outras (para o ser humano)
Por exemplo, o nome da planta que entre nós é conhecida como Costela de Adão é Monstera deliciosa. Neste caso, o nome botânico da planta que conhecemos como Costela de Adão diz-nos que esta Espécie pertence ao Gênero "Monstera". Este nome é universal e identifica a mesma planta em qualquer lugar do Mundo. Deve dizer-se que o nome botânico de uma planta se escreve em Latim e que na linguagem técnica e científica não é alvo de tradução para línguas locais. Deste modo, escreve-se do mesmo modo em todos os países. Finalmente, a redação correta do nome botânico implica que seja escrito em itálico, que a primeira palavra comece por maiúscula e a segunda por letra minúscula. Seguem-se alguns conceitos adicionais que implicam diferentes formas de construção do nome botânico

HÍBRIDOS São o resultado do cruzamento de duas espécies diferentes. Por exemplo, cruzando a espécie Spiraea albiflora com a espécie Spiraea japonica obtemos o híbrido Spiraea x bumalda. Assim, quando entre as duas palavras encontramos um "x" sabemos que estamos  perante um híbrido
Exemplo: Spiraea x bumalda 
Se o x aparecer antes das duas palavras estaremos perante um híbrido que resulta do cruzamento de duas espécies de dois gêneros diferentes. São casos raros porque em 99% dos casos os híbridos resultam do cruzamento de duas espécies do mesmo gênero. Estes cruzamentos podem ocorrer espontaneamente na natureza ou serem produzidos pelo homem. 
Exemplo: x Cupressocyparis leylandii
CULTIVARES São o resultado de um trabalho de seleção de uma característica de uma planta que é sujeita a técnicas de cultivo até que se obtenha uma planta nova com a característica pretendida, diferente da original. Por exemplo, o Nerium oleander aparece na natureza com flores de cor rosa mas existem cultivares de Nerium oleander de flor branca (Nerium oleander 'Mont Blanc'), de flor vermelha (Nerium o leander 'Atropurpureum'), de flor amarela (Nerium oleander 'Aurantiacum') e de outras cores, obtidos após a aplicação destas técnicas de seleção. Note-se que neste caso o último nome não se escreve em itálico, pode não ser latino e aparece entre aspas. 
Exemplo: Nerium oleander 'Mont Blanc' 
Na linguagem vulgar é frequente chamar variedade ao cultivar mas é incorrecto porque o cultivar é fruto do esforço humano e a variedade é um fenómeno espontâneo da natureza
VARIEDADES São plantas diferentes das da espécie em que surgiram em resultado do aparecimento natural e espontâneo de características novas. Por exemplo, o Cupressus sempervirens, conhecido como o cipreste dos cemitérios, tem uma forma que lhe é dada pelo fato dos seus ramos serem quase verticais. Contudo, surgiram alguns ciprestes com ramos mais horizontais, característica que transmitiram à sua descendência, dando origem a uma variedade dentro da espécie. 
Exemplo: Cupressus sempervirens var. horizontalis.
SUBESPÉCIES Conceito semelhante ao de Variedade. Ocorrem também de forma espontânea na natureza. São plantas que se distinguem dentro da espécie por força das condições geográficas do território onde se desenvolveram as quais selecionaram características da planta mais adequadas a esse terreno
Exemplo: Quercus ilex subsp. rotundifolia
FORMAS Outro conceito parecido com o de Variedade e o de Subespécie. Ocorrem também de um  modo espontâneo na natureza. São plantas que se distinguem em pormenores como a cor de uma folha ou a cor de uma flor. 
Exemplo: Fagus sylvatica f. purpurea
Independentes de sua origem, os nomes dos táxons são tratados como nomes latinos
✦ Gênero e espécie não tem terminações fixas
✦ O nome de uma planta é uma combinação de dois nomes (binária), sendo o primeiro o nome do gênero e o segundo o epíteto específico.
✦ Todo nome deve ser acompanhado pelo nome do autor da espécie, e deve aparecer destacado do texto (itálico).
✦ Ex.: Caesalpinia echinata L. (Pau-brasil) 

Nomenclatura Botânica
Caesalpinia echinata L.
= quem descreveu (nome) a planta frequentemente abreviado, e.g. Linnaeus = L. or Linn.
a. nome do gênero - Caesalpinia
b. epíteto específico - echinata
c. autoria - L.
●quando uma espécie muda de gênero, o nome do autor do basiônimo (primeiro nome dado a uma espécie) deve ser citado entre parênteses, seguido pelo nome do autor que fez a nova combinação.
●Ex.: Tabebuia alba (Cham.) Sadw.; basiônimo : Tecoma alba Cham

Normas para redação de nomes científicos
1. Todas as letras em latim devem vir em itálico (cursiva), sublinhadas ou negrito;
2. A primeira letra do gênero ou categoria superior há de vir em maiúscula;
3. O resto do nome vem em minúscula (exceto em alguns casos em que se conserva a primeira letra de epíteto específico)
4. Os nomes dos híbridos vem precedidos de x. 
Ex. x Rhaphanobrassica; Mentha x piperita
Pronuncia de nomes científicos
1. Os ditongos ae e oe se lêem como e  Ex. laevis; rhoeas
2. A combinação ch se lê k; Ex. Chenopodium
3. A combinação ph se lê f; Ex.Phaseolus vulgaris

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ღ Obrigada pela visita. Seja sempre bem vindo. ღ Solღ