ღ SEGUIDORES ღ

Plantas suculentas são belas em suas variedades de tamanhos, formatos, texturas e cores. O pouco que entendo sobre elas, são de informações que pesquisei. Assim como os nomes e classificações. Já perdi algumas e continuo uma aprendiz, pois parte da experiência, são com as próprias plantas. Tanto as Suculentas como as Folhagens ornamentais tem suas preferências. Cada uma delas ensina: local preferido, ventilação, quantidade de regas, luminosidade adequada, horas expostas ao Sol, temperatura ambiente, solo adequado, boa drenagem e, assim todo cuidado específico com cada uma delas deixa o seu jardim, sua casa um ambiente agradável, uma energia que propõe bela harmonia com a natureza.
ღO AMBIENTE COM VERDE DÁ MAIS VIDA E ENCANTA...POIS VERDE É TUDO DE BOM!

25 de out de 2009

Fittonia verschaffeltii (Acanthaceae)


Aqui mais uma planta que comprei. Gosto de suculentas mas estou aumentando a minha coleção com folhagens ornamentais. A natureza é incrivelmente fascinante, fico admirada pela criação de plantas com estes detalhes, nestes tons. Surgiu até uma inspiração...
 " Fittonia de belas nervuras, cores exuberantes causam deslumbre...folhas que embelezam e inspiram leveza na alma...felizes somos nós com a natureza...sentindo vida e alegria..." 
Simplesmente senti vontade e escrevi...rsrs...mas rir de si mesma é emanar positividade, através do riso espontâneo. Bom sorrir para a vida, que de certa maneira, atrai uma energia muito boa. Enfim a sensação é ótima.
Para todos um belo dia e um grande sorriso da Solღ
Fittonia verschaffeltii (Acanthaceae)
Fittonia
Fittonia (planta nervo ou planta mosaico) é um gênero de plantas com flores na família Acanthaceae, nativa de floresta tropical na América do Sul, principalmente Peru. Atualmente são conhecidas 15 espécies, mas os mais cultivados são F. albivensis e seus cultivares. Plantas verdes e perenes. Se espalham em crescimento de 10-15 cm (4-6 in) de altura. Possuem folhas verdes exuberantes com veias acentuadas do branco ao rosa profundo e tem uma curta penugem cobrindo suas hastes. Pequenos botões podem aparecer após o tempo em que o tronco se divide em folhas. As flores são pequenas, com cores branco para branco creme. A condição ideal para estas plantas é mantê-las em uma área úmida, com sol ameno e temperaturas acima de 55°F (13°C), portanto, em áreas temperadas que devem ser cultivadas como plantas de casa. Sem água por alguns dias, esta planta é conhecida como "fraca", mas facilmente revive com uma rega rápida e retoma a sua salubridade. A Fittonia é conhecida por ser dura para crescer por isso é melhor comprado em um viveiro depois cuidadas. Seu hábito de se espalhar, a torna ideal como cobertura de solo. 
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Fittonia

"O sol está dentro de cada um. Sorrir e acreditar em sí é o caminho para alcançar a luz e o brilho que irradia da própria existência e acalenta a crença em nós mesmos.  Acreditemos no próprio sol, ele mora no “eu” e ilumina o tudo e o todo.  A gargalhada é o sol que varre o inverno do rosto humano."

22 de out de 2009

Peperomia obtusifolia (Piperaceae)Foto2


Bom dia, o tempo é bom com sol e 18 graus. 
Além de suculentas, também aprecio folhagens ornamentais e, aproveito para mostrar o desenvolvimento desta folhagem, uma das primeiras que comprei, que agora está assim, ela se desenvolveu bem. É bom ver as plantas crescendo, sinal também, que gostam do local que as coloquei. Aos poucos vou aprendendo, mas tudo no seu tempo para conhecer e absorver o que é novo. Ir com calma no visual do blog, colocar detalhes, mas sem demasia, o suficiente, para deixar simpático para os que visitam. Quanto as minhas postagens, percebi, revendo as primeiras, que poderia ter esperado um pouco, para que algumas plantas ficassem maiores, para depois postá-las. E na tranquilidade poder lidar com cada coisa, e aproveitar melhor.
 Abraços, Sol 
Peperomia obtusifolia (Piperaceae

Peperomia obtusifolia
Peperomia obtusifolia (Planta de borracha bebê) é uma espécie de planta de florescência na família Piperaceae, nativa da Flórida, México e Caribe. É um evergreen(Sempre-viva - é uma planta que tem folhas durante todo o ano, sempre verdes) perene que cresce a 25 cm (10 pol) de altura e largura, com folhas coriáceas em concha e picos estreitos de flores brancas até 12 cm (5 dentro) de comprimento. 
O epíteto específico obtusifolia significa "sem corte de folhas". 
Com uma temperatura mínima de 15°C (59°F), que deve ser cultivada no interior em mais temperadas regiões. Uma planta bastante conhecida, numerosos cultivares têm sido desenvolvidos, alguns dos quais mostram  variegação nas folhas. P. obtusifolia ganhou o Royal Horticultural Society 's Award of Merit Garden .
Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Peperomia_obtusifolia

Novos caminhos
Surgindo novos caminhos...por eles quero passar!
 Muito sol ,muita alegria, muita paz em nova trilha
sabendo onde vou pisar...
 Cuidado sempre é preciso pro caminho percorrer:
pisar de leve, silêncio, atenção para os detalhes...
saber olhar...perceber...
 Caso encontros aconteçam na nova estrada da vida
que sejam de luz e amor...
 Neste caminho há escolhas, há rotas, há desencontros...
 Tempestades haverão! Esperaremos com calma
que se amainem...passarão!!!
 O caminho é novo e livre...por ele vamos seguir
sabendo que o sol retorna a cada noite que passa...
a cada dia que nasce...
e que a vida acontece a cada palmo de chão...
 O caminho está à nossa espera
inexplorado e florido e só depende de nós
por ele saber seguir!!!
(Sonia Regina)

14 de out de 2009

ღ Ter um blog é...ღ


Hoje deu vontade de falar sobre o que é ter um blog, e vou colocar este tema aqui por achar interessante e o que me fez ter um blog. Espero também que seja de interesse aos amigos que me visitam. Para mim surgiu atráves de meu lazer, como sabem, colecionar plantas, e para dividir tudo isso resolvi criar um blog. No início não sabia como, pois não tinha, idéia nenhuma mas fui fuçando e aos poucos feito o básico, fui conhecer outros blogs e, as visitas a vários blogs me ajudaram. Fui me envolvendo e o interesse foi crescendo, porque fui aprendendo com as pessoas e aos poucos tendo a noção do mundo da blogosfera. Mas ainda continuo aprendendo, tímida como sou, não sabia direito como comentar...rsrs e quando começaram as visitas, os comentários e a surgir seguidores no meu blog, foi uma alegria, sinceramente, é muito bom! 
Aprendi também que não se deve esperar o retorno de todos, porque eu mesma tenho falhado e isto pode ser visto como indelicadeza...explico melhor, toda vez que se faz uma postagem, as primeiras, vão ficando para trás e, depois de fazer várias postagens, só percebia comentários em postagens recentes, não conferia todas as postagens, não percebia esse detalhe e por isso peço desculpas, por este lapso, de ter notado o comentário, só depois de um tempo. Mas fiquei pensativa, como saber se há um comentário e em que postagem?! É necessário checar todas as postagens, toda vez que se entra? Não sei como todos fazem, peço dicas. Outro detalhe, quando entrava um comentário de um visitante ou seguidor, para agradecer e retribuir a visita, clicava mas o perfil estava indisponível ou não havia link, mesmo assim agradeço, pela intenção de conhecerem o meu blog. 
Também tem o lado de querer incrementar o blog e, apesar de pesquisar e de não conseguir saber colocar itens que se deseja no blog, vi que poderia perguntar para aprender, como no caso eu pedi dicas e os recebi, com a maior simpatia. Só tem um detalhe, percebi que a medida que vou acrescentando coisinhas no blog, demora mais para abrir, fica tudo mais lento rsrs...e assim entendi o porque de entrar em alguns blogs e a demora para abrir...e às vezes não conseguia ver todas as postagens, mesmo para fazer um comentário, por estar lento.

O blog, talvez reflete como voce é, através do modo com personaliza e e decora o blog...a maneira de como se expõe suas postagens, as palavras que usa e tudo mais...Também acho importante ter a responsabilidade em tudo que se postar, ter a consciência de tudo que se coloca no blog, para que também tenha respeito, carinho e amizade. Enfim, para mim ter um blog, também é um lazer, onde se comunica com as pessoas e constrói colhendo o que plantou...é uma agradável terapia...essa forma de comunicação entre as pessoas...como isso tem sido bom...tenho conhecido pessoas simpáticas, as amizades que formamos...trocando idéias, enfim tendo o prazer de fazer o que gosta com pessoas de diferentes lugares, de uma maneira instantânea.

Mas gostaria de saber a opinião dos visitantes amigos, fiquei curiosa em saber como cada um pensa à respeito, motivos e as opiniões...gostaria de saber o que acham e como lidam com essa atividade...suas experiências e tudo mais...Será que gostaram desta postagem? Acho que gosto de escrever aqui, me expresso melhor do que falando rsrs...mas é verdade...Fiquem à vontade...adoro ler o que cada um comenta...Com carinho, abraços de Sol
Visitando o blog de Silvana(In-Vestida) notei o blog de Vanda
PLANETA DA BLOGUEIRA
Fui conhecer e achei interessante e importante os conselhos de Vanda, convido a visitarem.
Foi de grande validade para o meu aprendizado, espero que para voces, também.

"Para realizar grandes conquistas, devemos não apenas agir, mas também sonhar; não apenas planejar, mas também acreditar." 
(Anatole France) 

8 de out de 2009

Novas suculentas na coleção de Sol ღ

Olá, como havia dito, pensava em comprar mais plantas e, assim o fiz. Gostaria até de deixá-las mais grandinhas, depois tirar fotos postá-las mas, a minha empolgação foi maior e postei no espaço verde mostrando a minha recente aquisição. Espero que apreciem essas novas suculentas. 
(Aqui juntas, mas todas estão em postagem individual, com seus respectivos nomes).
Uma das que pesquisei, não tenho certeza do nome correto, com tempo vou pesquisar melhor. Estive ajeitando o blog aqui e ali, enfim tenho conseguido ajeitá-la como gostaria de personalizar, espero que fique com visual simpático. Quando sentimos a vontade de mudar, atualizar, vejo como uma energia que está sendo renovada. É bom seguir essa vontade, a certas mudanças, o importante é se sentir bem. 
Abraços e boas vibrações, Sol
As plantas suculentas são aquelas nas quais a raiz, o talo ou as folhas foram engrossados para permitir o armazenamento de água em quantidades muito maiores que nas plantas normais. Esta adaptação lhes permite manter reservas do líquido durante períodos prolongados, e sobreviver em ambientes áridos e secos que para as outras plantas seriam inabitáveis. O exemplo mais típico de suculência é a dos cactos, cujos talos apresentam uma grossa capa de tecido parenquimatoso. Além dos cactos outras diversas famílias vegetais apresentam o mesmo fenômenos. A adaptação das suculentas lhes permite colonizar ambientes pouco habitados, que recebem pouca competência por parte de outras espécies e, nos quais os herbívoros são escassos. Para possibilitar a captação da escassa umidade presente no ambiente, muitas suculentas são pubescentes, ou seja, apresentam uma superfície coberta de pêlos que retem o orvalho matutino. Outras técnicas empregadas para maximizar a retenção da umidade é a redução da superfície em comparação com o volume da planta, limitando o número de ramificações e o comprimento das mesmas e, o desenvolvimento de camadas de cera na superfície das folhas e talos. Desta maneira reduzem o processo de perda de água por evaporação. Os cactos apresentam uma adaptação desconhecida nas demais plantas suculentas. Estes transformam as folhas em espinhos que cumprem a dupla função de reter a água e defender a planta de possíveis agressões. A fotossíntese ocorre na própria superfície do talo que armazena o líquido retido. Existem milhares de espécies de plantas suculentas, classificadas em várias famílias. A maioria pertence as aizoáceas, as cactáceas e as crassuláceas, com mais de mil espécies cada uma.
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Planta_suculenta

"Se não houver frutos, valeu a beleza das flores; se não houver flores, valeu a sombra das folhas; se não houver folhas, valeu a intenção da semente."(Henfil)








Sansevieria trifasciata cv.'Golden Hahnii' (Ruscaceae)


Comprei esta espécie de folhagem, para fazer parte da minha Coleção de plantas, por me lembrar da popular Espada de São Jorge. Mas descobri que tem o nome popular de Espadinha e Espada de São Jorge anã. Já vi fotos em que várias delas ficam lindas num jardim.
Sansevieria trifasciata cv. 'Golden Hahnii' (Ruscaceae)
     Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii'
Perfil Flora, Cultura e Propagação - :
Nome Botânico: Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii'
Nome Comum: Golden Birdnest Sansevieria, Ninho de pássaro dourado, Planta Serpente, Golden Birdnest Goodluck Plant.
Nome de família: Ruscaceae 
Tipo de planta: Interno ou externo planta ornamental, nativa da África, Arábia e Índia.
Luz: prefere pleno sol, mas pode tolerar condições de pouca luz.
Umidade: precisa de pouca água e é muito tolerante à seca. Permitir solo secar entre regas.
Solo: cresce melhor em solo argiloso bem drenado, embora adaptável a qualquer tipo de solo.
Propagação: Por divisão de touceiras. Para Sansevierias variegadas, propagação por divisão é a escolha para manter o variegação amarelo dourado. Também podem ser propagadas a partir de estacas de folhas de planta progenitora, mas uma vez que 'Golden Hahnii' é uma quimera como outras Sansevierias variegadas, não irá propagar verdadeiro, resultando na ausência de bandas de ouro sobre as bordas das folhas. Para ver este resultado, levei um corte de folha, dividivi-o em três seções e, em seguida, plantei com basal em solo solto. As plântulas que emergiram eventualmente não têm quaisquer margens de ouro em tudo, como visto nesta imagem das plantas no lado esquerdo.
Imagem: http://www.jaycjayc.com/sansevieria-trifasciata-golden-hahnii-birdnest/
Dois tipos de Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii' - plantas na esquerda foram propagadas por secções da folha, enquanto as plantas da direita foram propagadas por divisão.
Características: Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii' é uma herbácea perene evergreen suculenta, crescendo a um pé de altura, com uma propagação similar. Esta planta de serpente do anão é variedade de S. trifasciata 'Laurentii' com um hábito completamente diferente, descoberto por Sylvan Hahn em 1953. Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii' (Sansevieria Golden Birdnest) no nosso jardim a cultivar compacto e variado que é de formação com folhas recurvadas grossas, e em espiral arranjados em uma roseta que se assemelha a um ninho de pássaro, daí comumente chamado de Sansevieria Golden Birdnest (Ninho de pássaro dourado). Suas folhas grossas e suavemente texturizados são atraentemente variegadas com as duas listras douradas ou cremosos marginais e internos amarelo, e uma ampla faixa verde escuro central com padrões típicos da espécie trifasciata. As folhas são amplas e duras com variável largura e comprimento. Esta planta é de crescimento livremente lento, robusto. 
Sansevieria Golden Birdnest  no nosso jardim
Imagem: http://www.jaycjayc.com/sansevieria-trifasciata-golden-hahnii-birdnest/
Uso: Grande como uma planta de casa em vários tipos de recipientes, não só por sua atração, mas também para a limpeza do ar na casa de concentrações de benzeno e formaldeído. 
Ideal para o exterior também em plantações mistos, canteiros, em vasos ou em grupos, formando bordaduras ou mesmo para compor maciços. 'Golden Hahnii' são perfeitos como forrações especialmente na plantação em massa com outras plantas de baixo crescimento, como petúnias anão mexicano e Lírios Zephyr, etc, para atrair borboletas e libélulas.
Cuidado: S. trifasciata 'Golden Hahnii' é uma planta fácil de cuidar, quase prospera em negligência. Não gosta de solo encharcados, mas ama o sol e calor. Então, plante em solo bem drenado à base de barro e ter muito cuidado para não regar demais, caso contrário ele vai sucumbir a apodrecer. Apesar de ser um sobrevivente resistente em uma ampla gama de condições, seja no sol mais quente ou local de profunda sombra, fica melhor em boa luz ou locais ensolarados. A exposição a condições de pouca luz prolongados irá resultar em esguios, folhas longas que são traços característicos, que faltam em boa forma e coloração. A alimentação é importante, fertilizar com um fertilizante de nitrogênio baixo com moderação durante a estação de crescimento. Se necessário, os aglomerados superlotados propagar as divisões em outros lugares, pois a superlotação irá distorcer novas rosetas. É dificilmente incomodado por pragas ou doenças.
Por regiões temperadas: Clima: Evite frio e umidade, mas fornecer boa luz e calor. Solo bem drenado é essencial. Água moderadamente no verão, mas mantê-lo seco durante o inverno. Para saber mais sobre a cultura das Sansevieria, consulte a folha de fato pela Sociedade Internacional de Sansevieria e local Jardim de Dave.
Mais informações sobre sansevieria: Leia este muito abrangente Guia de Produção Sansevieria da Universidade da Flórida, IFAS para se familiarizar com o gênero 'Sansevieria', sua cultura e as muitas espécies e cultivares.
Fonte: http://www.jaycjayc.com/sansevieria-trifasciata-golden-hahnii-birdnest/

Sansevieria
Sansevieria é um gênero de cerca de 70 espécies de plantas com flores, cujos nomes comuns incluem de a língua mãe-de-lei, a língua do diabo, gênios língua's, cânhamo corda do arco, planta cobra e língua de cobra. Muitas vezes, é incluído no gênero Dracaena; no sistema de classificação APG III, ambos os gêneros são colocados na família Asparagaceae, subfamília Nolinoideae (anteriormente a família Ruscaceae). Também foi colocado na família Dracaenaceae anterior.
Etimologia
O gênero foi nomeado em honra de Raimondo di Sangro (1710-1771), príncipe de San Severo, na Itália. Grafias "Sanseveria" e "Sanseviera" são comumente vistos, bem como, a confusão decorrente de grafias alternativas do nome da cidade italiana.
Características
Há grande variação dentro do gênero e divisão de espécies de plantas suculentas do deserto, como Sansevieria Pinguicula para mais finas folhas de plantas tropicais, como Sansevieria trifasciata. Plantas muitas vezes formam grupos densos de uma propagação de rizoma ou estolões. 
Folhagem
As folhas de Sansevieria são normalmente dispostas em roseta em torno do ponto de crescimento, embora algumas espécies são dísticas. Há grande variação na forma de folhas dentro do gênero.Todas as espécies podem ser divididas em duas categorias básicas com base nas suas folhas: espécies de folhas duras e com folhas moles. Normalmente, Sansevieria de folhas duras são originários de climas áridos, enquanto as espécies com folhas macias são originários de regiões tropicais e subtropicais. Sansevieria de folhas rígido têm uma série de adaptações para sobreviver em regiões secas. Estes incluem grossas, folhas suculentas para armazenar água e folhas espessas cutículas para reduzir a perda de umidade. Estas folhas podem ser cilíndricos para reduzir a área de superfície e são geralmente mais curtas que as dos seus congêneres tropicais moles folhagens, que são de largas e como tiras. 
Flores
As flores são de cor branca esverdeada, produzida em um simples ou ramificada racemo. O fruto é um vermelho ou laranja baga. Na natureza, as flores Sansevieria são polinizadas por mariposas, mas ambos floração e frutificação é irregular e poucas sementes são produzidas. O cacho de Sansevieria é derivado do meristema apical e uma planta com flores deixarão de produzir novas folhas. Ao contrário das plantas, tais como Agave que morrem após a floração, Sansevieria simplesmente deixarão de produzir novas folhas. A planta florida vai continuar a crescer através da produção de mudas através dos seus rizomas ou estolões.
Usos
Corda e usos tradicionais
Na África, as folhas são usadas para produção fibra; em algumas espécies, por exemplo, Sansevieria ehrenbergii, a seiva da planta tem qualidades anti-sépticas, e as folhas são usadas para curativos em tradicional primeiros socorros.
Fins ornamentais
Diversas espécies são populares plantas de interior em regiões temperadas, como Sansevieria trifasciata o mais amplamente vendido; numerosas cultivares estão disponíveis. Os chineses costumam manter este vaso de planta em um vaso, muitas vezes ornamentada com dragões e fênix. O crescimento é relativamente lento e a planta vai durar por muitos anos. As plantas altas têm crescimento rígidos, eretas, folhas em forma de lança, enquanto as plantas anãs crescem em rosetas. Como plantas de interior, Sansevieria prospera em calor e luz brilhante, mas também irá tolerar sombra. Eles podem apodrecer a partir de excesso de rega, por isso é importante que eles são envasadas em solos bem drenados, e não-irrigado. Eles precisam ser replantados ou dividir a raiz de vez em quando, porque, às vezes, tornam-se tão grande que eles quebram o pote onde estão crescendo dentro.
Na Coréia, vaso de Sansevieria  é comumente apresentado como um presente durante a cerimônia de abertura de empresas ou outros eventos auspiciosos. 
Outras espécies de Sansevieria são menos comuns em cultivo. Outra espécie é Sansevieria cylindrica, que tem folhas que parecem bastante diferente da S. trifasciata, mas é igualmente difícil. 
Purificação do ar
Como os Pothos de Ouro (Epipremnum aureum) e de milho (Dracaena fragrans), espécie Sansevieria são considerados para atuar como purificadores de ar bom, removendo toxinas (como formaldeído, xileno e tolueno) do ar, ganhando uma reputação como uma boa cura para a síndrome do edifício doente. Sansevieria usa o metabolismo de ácido   processo crassuláceas, que absorve dióxido de carbono e libera oxigênio à noite. Isto torna-os supostamente plantas adequados em quarto.
Feng Shui
De acordo com o feng shui, as folhas de Sansevieria crescem para cima, as plantas podem ser utilizadas para fins de feng shui. Alguns acreditam que ter Sansevieria perto de crianças (como na sala de estudo) ajuda a reduzir grosseria, enquanto outros recomendam potes colocando perto do tanque do toalete para conter a fuga de baixo vibrações. 
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Sansevieria

Sansevieria trifasciata 'Golden Hahnii'

Descrição
Planta originária da África, obtida pela mutação da espécie original, perene, acaule, rizomatosa, com cerca de 20 cm de altura. Folhas curtas, coriáceas, espessas, dispostas em rosetas, na cor verde, com faixas irregulares transversais verde-acinzetadas. Existe a forma variegada S. trifasciata 'Golden Hahnii', com folhas marcadas no sentido longitudinal em verde e amarelo, muito decorativa.
Uso paisagístico
Planta rústica, bastante interessante para compor forrações baixas e bordaduras, nos pequenos e médios espaços, podendo ser cultivada à meia-sombra ou sol pleno. A forma variegada produz contraste de excelente efeito decorativo com outras plantas de cores diferentes. Pode ser utilizada também em mini-jardins, jardins rochosos e vasos.
Fonte: http://www.ceapdesign.com.br/familias_botanicas/ruscaceae.html


Aprender uma coisa significa entrar em contato com um mundo do qual não se tem a menor idéia.
 É preciso ser humilde para aprender.
(Paulo Coelho)

Aloe variegata (Asphodelaceae)

Uma beleza de suculenta que descobri. Ela possui folhas bem duras e esse matiz característico me encantou. 
 Aloe variegata (Asphodelaceae)
Aloe variegata, também conhecida como Aloe tigre e Aloe peito de perdiz, é uma espécie de Aloe nativa da África do Sul e Namíbia. É comum no cultivo.
Descrição
As plantas crescem para cerca de 20-30 cm, com 18-24 folhas dispostas em três fileiras. Novas folhas aparecer individualmente ao longo do tempo a partir do centro da planta, achatando folhas mais velhas e empurrando-os para fora de uma forma em espiral. Cada folha é uma cor verde rico com luz irregular faixas verde composta de amalgamado, ligeiramente levantada manchas ovais, e semelhante luz serrilhas coloridas finas ao longo de cada borda. Em plantas maduras das folhas exteriores, e assim mais antigas, são 10-15 cm de comprimento e cerca de 3-6 cm de largura na base. Dependendo da fase, espaço, disponibilidade de água ou mesmo a velhice, folhas externas vai morrer, virando marrom dourado e murchamento.
As plantas atingem a maturidade em três a sete anos, mais uma vez em grande parte dependente do espaço, a luz solar e água disponível, em que ponto eles vão começar a enviar cachos de flores. Flores desenvolvem em um aglomerado na cabeça do cacho e são espaçadas por seu rápido crescimento.
As flores são de cor laranja, dispostos em um cacho de cerca de 20-30 cm de altura. Em seu habitat natural na África Austral, as flores são produzidas a partir de julho a setembro, com deslocamento sendo prontamente formado.
Taxonomicamente, faz parte do Serrulatae série de muito estreitamente relacionados Aloe espécie, juntamente com Aloe dinteri e Aloe sladeniana. Estudos filogenéticos recentes têm mostrado estas três espécies de constituir, possivelmente, um gênero totalmente separado, com o nome sugerido Gonialoe. Enquanto esta espécie parece bastante semelhante a duas espécies - irmãos, que pode ser facilmente distinguida a partir deles por ser menor, inflorescência mais robusta com flores rosa maiores. 
Distribuição e habitat
O Aloe tigre é nativa do árido Karoo região da África Austral. Na África do Sul, encontra-se nas áreas secas do Cabo Ocidental, Cabo Oriental, Cabo do Norte e Estado Livre. Eles geralmente crescem em terreno rochoso e afloramentos onde eles podem crescer entre pedras, mas também pode crescer em solos com drenagem ponderada, como solos arenosos. Encontra-se geralmente no abrigo semi-sombra de qualquer fendas de rochas ou arbustos, que fornecem alguma proteção contra o sol. 
Esta espécie predomina em áreas inverno-chuva. Para o norte, como o clima muda gradualmente para uma chuva de verão, esta espécie é substituída pela sua espécie-irmã Aloe sladeniana (na região precipitação intermediário), que, em seguida, gradualmente abre caminho para Aloe dinteri nas áreas de chuva de verão de extremo norte da Namíbia .
Fonte: https://en.wikipedia.org/wiki/Aloe_variegata

O nome 'variegata' refere-se às bandas brancas e verdes alternativas nas folhas. Faz uma planta atraente e completamente lisa, sem (geralmente) nenhum dente ou bordas afiadas e faz grande em a maioria peitoris. Produz bons flores vermelho-alaranjadas.
Cultivo: A. variegata é fácil de crescer na sombra luz e fazer uma grande, quase, planta de casa embora, cuidado sem iluminação suficiente brilhante pode tornar-se torto e pálido, mas parece que é melhor quando cultivada em pleno sol. Seus principais períodos de crescimento são a primavera e o outono. Mantenha relativamente seco, rega cuidadosa é necessária, como ele está propenso a podridão se regar em excesso, especialmente nos meses de inverno, proteção da geada é necessária (mas a planta pode tolerar -7 °C por um curto período). Prospera em meio a grandes potes de tamanho e precisam de um solo drenado. 
Manutenção: Remoção de flores velhas hastes ; Durante os inverno meses, as plantas devem ser cultivadas legal para iniciar flor desenvolvimento (cerca de 5-10 °C).
Reprodução: Normalmente via deslocamentos (estacas), também é possível a propagação da semente que germina facilmente se semeadas em solo bem drenado e coberto levemente com areia fina. As mudas crescem rapidamente, atingindo o tamanho de floração em três a quatro anos. As sementes devem ser semeadas o mais fresco possível. As sementes frescas germinam rapidamente a 18°C.
Fonte:http://www.cactus-art.biz/schede/ALOE/Aloe_variegata/Aloe_variegata/Aloe_variegata.htm


"A humildade e a grandiosidade jamais se contradizem quando temos a consciência de nossa missão. Somos a folha da árvore e ao mesmo tempo toda a floresta. Somos o grão de areia e ao mesmo tempo toda a areia." (Rogério Thaddeu)

Cotyledon tomentosa ssp. ladismithensis(Crassulaceae)

Esta espécie de suculenta, de folhas pequenas e ovalada , meio gordinha com pelos e, bordas que lembram garras, recebe o nome de pata de urso, pela semelhança do formato das folhas.
Cotyledon tomentosa ssp. ladismithensis (Crassulaceae)
Pata de urso (Cotyledon tomentosa subsp. ladismithensis.)
Família: Crassulaceae, Gênero: Cotyledon, Espécies:tomentosa subsp. ladismithensis
Sinônimo: Cotyledon ladismithensis
Fonte: http://davesgarden.com/guides/pf/go/100324/#b

Tomentosa Harvey (Inglês)
"Tomentosa" = cabeludo
Há duas espécies descritas / reconhecido 
1. Cotyledon tomentosa Harv.ssp tomentosa  Toelken em Bothalia (1977)
2. Cotyledon tomentosa Harv.ssp ladismithensis (von Poelnitz) Toelken em Bothalia (1977)
gênero Cotyledon  pertence à Crassulaceae, uma família que cerca de 42 membros e é agora o maior grupo de plantas suculentas.
Os cotyledons têm cerca de 48 espécies com diversas variedades, eles são divididos em dois grupos, o tipo de planta é C. orbiculata.

Cotyledon   Linneaus (1753) 
grego: kotyledon = em forma de copo vazio
Cotyledon é um gênero de 10 espécies de folha perene arbustiva e suculentas-tronco da África do Sul, com inúmeras variedades e cultivares. Cotyledon tem sido um pega-tudo, incluindo espécies de gênero Echeveria, Rosularia, Tylecodon e Umbilicus, agora todos agrupados separadamente. Tolken (1978) separou 47 espécies de Tylecodon sazonais, com folhas dispostas em espiral, de Cotyledon com folhas perenes. O nome Tylecodon é um anagrama de Cotyledon. Como a moda muda taxonômica e com novas perspectivas de análise de DNA, é possível que o âmbito da Cotyledon vai mudar novamente. Algumas confusões sobre espécies validamente incluídos em Cotyledon ainda existe nos rótulos de plantas e em toda a internet. Cotyledons geralmente colonizam solo rochoso e falésias, um indício de que eles apreciam condições bem drenados em cultivo. As folhas carnudas de algumas espécies (por exemplo Cotyledon ladysmithensis) são ligeiramente pubescente ou farinhento (por exemplo Cotyledon ladysmithensis, Cotyledon orbiculata). As flores de laranja Adromischus phillipsiae são semelhantes aos dos cotyledons, com o qual foi uma vez agrupadas. Estas plantas devem ser considerados como tóxicos, como os intimamente relacionados Tylecodons.
Cultivo
Cotyledons são fáceis de crescer em qualquer composto livre-drenagem corajoso e crescer em uma borda da janela ensolarada ou estufa. Estas plantas são adequadas para jardins em um clima mediterrâneo. As hastes podem ser cuidadosamente podados para manter uma forma atraente. Cotyedons toleraram frescos, livres de gelo durante o inverno condições, se mantida seca. É melhor manter a água fora das folhas.  
Fonte: http://www.succulent-plant.com/families/crassulaceae/cotyledon.html


"Delicadeza é aquilo que nos alcança sem nos tocar. É a melodia que nos embala mesmo em silêncio. É quando a boca empresta um sorriso aos olhos sem que nenhuma cobrança seja feita e os sentidos se misturam sem que ninguém dispute o melhor espaço. Delicadeza é ter pensamentos e atitudes em harmonia. É atingir o outro sem que ninguém saia machucado. É quando você é seduzido por algo que vem de dentro e dividir ajuda a somar "(Fernanda Gaona)

Hylotelephium cauticola (Crassulaceae)

Na minha coleção de plantas suculentas, mais uma graciosa planta. Num tom verde claro em que o contorno de suas pequenas folhas são avermelhados. Pouco conhecia desta planta e pesquisando encontrei informações interessantes.
Mas vou sempre descobrindo que alguns nomes das suculentas passam por mudanças e, algumas pelo fato de passarem de um gênero para outro. Um exemplo é esta espécie de suculenta que a princípio conheci como Sedum cauticola, mas passou ao gênero Hylotelephium, assim atualmente seu nome é Hylotelephium cauticola. Posso entender que apesar disso, podemos procurar como Sedum cauticola, sendo considerada como sinônimo, pois o gênero Hylotelephium ainda é pouco conhecido para a maioria.
 Hylotelephium cauticola (Crassulaceae)
Hylotelephium cauticola  Ohba 1977 Syn. Sedum cauticola Praeger 1917 
Esta planta suculenta de sombra, tem carnudas, arredondadas, folhas azul-verde e finas hastes rosa. A inflorescência é uma panícula de pequenas e brilhantes flores rosa, produzidas no final do verão. Nativa do Japão.  

Hylotelephium cauticola

Família: Crassulaceae
Subfamília: Sedoideae
Espécie: Sedeae
Subespécie: Telephiinae
Nome científicoHylotelephium cauticola (Praeger) H. Ohba
SinônimosSedum cauticola Praeger; Sedum cauticola Praeger forma montanum H. Hara
Nome comum: (Nome comum japonês) Hidaka misebaya (ヒダカミセバヤ,日高見せばや[significado: Hylotelephium sieboldii Hidaka (misebaya = Hylotelephium sieboldii (Sweet ex Hooker) H. Ohba)])
(Nome comum Inglês): nenhum
Distribuição: (Japão) Hokkaido
(Outros países), nenhum
Habitat: Rochas alpinas ou zonas montanhosas
Número de cromossomos n = 24, 2n = 48
Descrição: Hastes - 10-15cm de comprimento. 
Folhas - de 12,5 centímetros de comprimento, 7-18mm de largura, pecíolos 2-7mm de comprimento. 
Flores - pétalas vermelhas ca. 5 mm de comprimento, cálice ca. Longo 1.5mm, estames ca. 4,5 milímetros.
Floração, longo em agosto e setembro. Plantas perenes.
ReferênciaHylotelephium cauticola (Praeger) H. Ohba
Nota: Espécies raras.

Hylotelephium  Ohba 1977 (Orpines)
O gênero Hylotelephium atualmente inclui cerca de 33 espécies, algumas das quais foram movidos recentemente de Sedum, incluindo o colorido H. Telephium e H. spectabile (Joy Outono). Estas plantas resistentes da Europa de Leste e da Ásia têm caule ereto tendo folhas grandes, lisas com margens serrilhadas. A inflorescência é tipicamente uma cabeça densa de pequenas flores cor de rosa, muitas vezes fornecendo a cor do verão a tarde. Algumas espécies se naturalizaram na América do Norte.

Stonecrops de fronteira do Gênero Hylotelephium
Hylotelephium - Eles são os stonecrops de fronteira, um grupo que recentemente se separou de Sedum. "Autumn Joy" é talvez o mais conhecido, mas este grupo está desfrutando de um surto no lançamento de novas cultivares adequadas para quase qualquer situação ensolarado. Folhagem, folhas, flores, atração a todas as estações. Tolerante à seca, tolerante ao sol, atrativas de borboletas, estas plantas têm tudo!
O gênero Hylotelephium pode não ser familiar para muitos, ou nunca ouviu falar. Mas a maioria dos jardineiros tem visto e, provavelmente estar familiarizado sem saber, que se trata de Hylotelephium. Isso é porque este gênero era uma vez parte do gênero Sedum. O gênero Sedum é bastante grande com representantes encontrado praticamente em todo o mundo. Com um exame mais cuidadoso, taxonomistas de plantas começaram recentemente a dividir este gênero em vários novos gêneros. Os stonecrops fronteira são um grupo que agora estão separados em seu próprio gênero chamado Hylotelephium. Estes incluem o popular "Alegria de Outono" e uma série de outras cultivares semelhantes. Cerca de 35 espécies de Sedum já foi transferido para Hylotelephium. Como jardineiros, estamos mais interessados ​​em H. spectabile, H. Telephium e os muitos híbridos entre estas duas espécies.

Espécies e cultivares similares

Sedum cauticola 'Bertram Anderson [Hylotelephium cauticola' Bertram Anderson ']
Azul-violeta folhagem ramificadas 6 polegadas plantas altas. Numerosos escuras rosa-roxo flores em setembro. Herbácea perene. A espécie é do Japão. Hardy.

Sedum cauticola 'Lidakense' [Hylotelephium cauticola 'Lidakense']

Folhas cinza com reflexos púrpura. Flores roxas cobrem a parte superior da planta em setembro e outubro. Lento para propagação, mas vai enviar algumas brotações aqui e lá fora o principal grupo de hastes. Morrem no inverno, de volta para o crescimento novo voltando as raízes na primavera. Bastante resistente. Japan.

"Quanto mais alta a sensibilidade, e mais sutil a capacidade de sentir, tanto mais absurdamente vibra e estremece com as pequenas coisas. É preciso uma prodigiosa inteligência para ter angústia ante um dia escuro. A humanidade, que é pouco sensível, não se angustia com o tempo, porque faz sempre tempo; não sente a chuva senão quando lhe cai em cima."(Fernando Pessoa)

Sedum rupestre (Crassulaceae)

Ao acrescentar esta suculenta na minha coleção de plantas, não tinha certeza do nome. E pesquisando confirmei o nome além de obter mais detalhes interessantes
Sedum rupestre (Crassulaceae)
Sedum rupestre  Linnaeus 1753 Syn. Sedum reflexum (Stone Orpine) 
É um prolífico, planta tapete de formação resistente com finas agulhas, com folhas cinza-verde embalados em torno da haste marrom-avermelhada e aglomerados de amarelo brilhante em forma de estrela flores no Verão. As novas plantas podem ser facilmente produzidos a partir de estacas. Nativo para a Europa Central, mas naturalizada em muitos países de clima temperado. Sedum rupestre cv angelina é uma cultivar atraente, com folhagem dourada, especialmente quando cultivada em pleno sol. Cultivares selecionadas para a folhagem especialmente azul e crescimento cristate também estão disponíveis. Ambas as formas normais e dourado fazem a cobertura do solo excelente, mesmo no meu solo de argila pesado. 

Sedum é um grande gênero de plantas com flores na família Crassulaceae, cujos membros são comumente conhecidos como stonecrops. Ele contém cerca de 400 espécies de folha suculentas que são encontrados em todo o hemisfério norte, variando de anuais e rastejando ervas a arbustos. As plantas armazenam água nas folhas. As flores geralmente têm cinco pétalas, raramente quatro ou seis. Há tipicamente duas vezes mais estames como pétalas .
Um número de espécies, anteriormente classificados como Sedum, são agora um gênero separado Hylotelephium.
Bem conhecidos sedums europeus são Sedum acre, Sedum álbum, Sedum dasyphyllum, Sedum reflexum (também conhecido como Sedum rupestre) e Sedum hispanicum.
Ornamental
Muitos Sedums são cultivados como plantas de jardim, devido à sua aparência interessante e atraente e resistência. As várias espécies diferem em suas exigências, alguns são resistentes ao frio, mas não toleram o calor, alguns necessitam de calor, mas não tolerar o frio.
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Sedum


Olhando a cachoeira caindo sobre as pedras
em cascatas, com uma delicadeza em movimentos espetacular...
Chamando tanto nossa atenção, que não conseguimos 
desviar os olhos de tão belo...
em sua volta, o colorido das plantas, os pássaros aproveitando 
essa maravilha que tem ao nosso dispor...
Podendo apreciar, aproveitando a beleza da natureza,
cheirinho bom de purificação, respirando e enchendo,
nossos pulmões de pura satisfação!
Vanilda Candida

Haworthia cooperi var. cooperi (Asphodelaceae)

Quando iniciei a minha coleção de plantas suculentas, algumas espécies do gênero Haworthia me deixaram curiosa pela translucidez. Dando uma aparência delicada, frágil, vulnerável a chuvas e ao sol.
Haworthia cooperi var. cooperi (Asphodelaceae)

Haworthia cooperi var. cooperi 
Sinônimo: Haworthia vittata
Família: Aloaceae
Gênero: Haworthia 
Espécie: cooperi 
Exposição: Sombra Luz
Folha: Cultivada para a folhagem 
verde de textura brilhante / brilhante texturizado 
Outros detalhes:
Esta planta é atrativa para abelhas, borboletas e/ou aves. 
Apropriada para o cultivo dentro de casa, precisa de rega regularmente; não muita água, adequado para o cultivo em recipientes.

Haworthia cooperi var. cooperi
Família: Asphodelaceae (Aloaceae - Liliaceae)
Nome científico: Haworthia cooperi
Origem: África do Sul (Província do Cabo Oriental)
Descrição: Aglomeração stemless rosetas Folhas: 20 a 40, até 5 (12) cm de comprimento; Cresce semi-enterrados no solo, permitindo que as pontas transparentes luz na fábrica abaixo. Eles tornam-se avermelhadas, com muito sol ou não água suficiente.  
Cultivo: precisa de água regular (Eles gostam de um pouco de água durante o período de inverno também), mas não muita água, é mais provável a podridão da raiz, e não água até secar novamente.
Tolerância Geada: proteção de geada, Mínima de 5ºC por seguro crescente (mas resistente até -5°C.) Luz necessário. 
Exposição ao sol: Requer sombra clara à luz brilhante (proteger do sol direto)
Propagação: Compensações (plantas novas são livremente produzidas entre as folhas basais)

Haworthia  Henri Duval 1809 
Nomeação: Adrian H. Haworth (1768-1833), botânico Inglês
O gênero Haworthia inclui mais de 70 espécies de pequenas plantas suculentas da África Austral, geralmente com folhas carnudas formados em uma roseta. Folhas individuais podem ser pontudas, planas ou pontas arredondado. Muitas espécies são verdes, mas outros apresentam uma variedade de pigmentos marrons ou marrom-avermelhada, especialmente na luz solar direta, e as folhas podem ser atraente marcado. As folhas de algumas espécies têm translúcido "janelas" em sua superfície superior. Há uma considerável variação de forma entre espécies diferentes, e subespécies. As espécies atualmente aceita incorporar muitas espécies anteriormente separadas. Em seu habitat das plantas geralmente se beneficiam da sombra de plantas arbustivas ou rochas, que também proporcionam proteção contra predadores. Os dois lábios irregulares das flores são geralmente pequenas, branco, tubular e no final de um ponto da flor pode ser simples ou ramificada. Diferenças na forma de flores são usadas para espécies individuais do grupo em sub-gêneros (Haworthia, Hexangulares, Robustipedunculares).
Cultivo
Muitas Haworthias são plantas compactas, apropriadas para uma pequena coleção, e tolerar sombra parcial. Eles são muitas vezes vistos abaixo da encenação em estufas, mas pode não desenvolver a cor completa em tal posição. Sua estação de crescimento tende a ser, durante os meses de Inverno e, as raízes são muitas vezes perdidos durante os meses de verão. Rega na época errada do ano pode matar a planta, então alguma sensibilidade ao ciclo crescente ativa é necessária. Haworthias produzem picos de pequenas flores brancas tubulares, mas são geralmente cultivadas para suas marcações da folha de decoração e formas arquitetônicas. Pulverizar ocasionalmente com inseticidas sistêmicos baseados em imidaclopride irá manter as plantas livres de bugs mealy, sua principal praga.
Fonte: http://www.succulent-plant.com/families/aloaceae/haworthia.html


"O Legal da Vida, é que se Você tiver Humildade suficiente para ser Transparente com Você mesmo, e tiver Coragem de Admitir não para os outros, mas para o seu "EU" que em determinados Momentos Você Errou, Você sempre irá Crescer. Para Você, e para as outras Pessoas." (Grayce Kelly Seth Bioen)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...