ღ SEGUIDORES ღ

Plantas suculentas são belas em suas variedades de tamanhos, formatos, texturas e cores. O pouco que entendo sobre elas, são de informações que pesquisei. Assim como os nomes e classificações. Já perdi algumas e continuo uma aprendiz, pois parte da experiência, são com as próprias plantas. Tanto as Suculentas como as Folhagens ornamentais tem suas preferências. Cada uma delas ensina: local preferido, ventilação, quantidade de regas, luminosidade adequada, horas expostas ao Sol, temperatura ambiente, solo adequado, boa drenagem e, assim todo cuidado específico com cada uma delas deixa o seu jardim, sua casa um ambiente agradável, uma energia que propõe bela harmonia com a natureza.
ღO AMBIENTE COM VERDE DÁ MAIS VIDA E ENCANTA...POIS VERDE É TUDO DE BOM!

30 de nov de 2012

ღAs cores de Outono no Japão

No meu espaço verde, além de plantas, em algumas postagens coloco fotos de paisagens, referente aos meus passeios pelo Japão. Nesta oportunidade fui até a província de Tochigi na cidade de Nikko. (Nikko significa literalmente "luz do sol"). Uma região fria e montanhosa é considerado um dos locais famosos para turismo. Na estação de Outono as folhas mudam de cor para ganhar uma variedade de tons que colorem as paisagens. Tem cachoeiras e a mais famosa é a Cachoeira Kengo. A cidade de Nikko também guarda um dos maiores tesouros arquitetônicos do Japão. 
Tochigi, Nikko, Lago Chuzenji, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko, Lago Chuzenji, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko National Park, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko National Park, Kegon falls, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko, Toshogu Santuários e Templos, Outono 2012, Japão
Tochigi, Nikko, Patrimônio arquitetônico do Japão, Outono 2012
 Cores de Outono que embelezam as montanhas, da região de Nikko,Tochigi, Japão 2012 
Pequena exposição de Crisântemos -  Nikko, Tochigi, Japão, Outono 2012
Sites interessantes com mais informações da cidade de Nikko, sobre a história, a cultura e fotos.
Tempo de Outono
É Outono. A Natureza está diferente e veste-se em todo o seu esplendor...
As árvores ficam em tons de laranja, vermelho, castanho, amarelo e verde parece que a paleta de um pintor passou pela natureza deixando esta diversidade de cores...
Aparecem as primeiras chuvas e o sol começa a arrefecer os dias. As folhas caem formando tapetes coloridos de uma beleza única.
Gosto do Outono e de observar esta mudança da natureza, do cheiro da terra molhada, da chuva a bater na vidraça.
É tempo das aves partirem em busca do sol e do alimento noutras paragens. Estes ciclos da Natureza despertam em mim o sentido de mudança e da beleza que a Natureza oferece.  
(Carlos Alberto Borges)

23 de nov de 2012

Crassula argentea f. variegata (Crassulaceae)

Da minha coleção de plantas suculentas, a Crassula argentea f. variegata, é uma das suculentas que cresceu bem, ficou tão alta, que suas folhas grossas e grandes começaram a pesar fazendo que o caule que, apesar de ter uma boa grossura e dureza penderem para os lados. Foi necessário colocar um suporte na haste. E do caule vão nascendo novas ramificações, e quando necessário fixo mais suporte. Agora se mantém retas e firmes. Dividi a muda quando percebi que a medida que vai se desenvolvendo, as folhas maiores comprimem as menores e, agora estou com dois vasos dessa suculenta. As folhas largas são duras tem formato ovalado, levemente achatado e a extremidade é suavemente pontuda. Interessante que essa suculenta tem uma coloração diversificada entre as folhas. Em algumas predomina o verde, outras tem mesclas listradas de verde e marfim. Dependendo em algumas em suas bordas surgem matizes em tom rosa que, ficam mais escuras, quase rosa-púrpura, do lado de baixo das folhas. Do peitoril da janela, recebe a luz do sol, todas as manhãs, por 3 horas. Pesquisando sobre essa suculenta percebo que recebe nomes diferentes, como Crassula ovata variegata, Crassula ovata ssp. obliqua f. variegata cvTricolor, Crassula ovata cv. Tricolor (var. obliqua f. variegata), Crassula obliqua variegata. Em alguns sites designam como sinônimos, então é compreensível a variações na nomenclatura dessa suculenta. 
Crassula argentea f. variegata (Crassulaceae)

Crassula argentea f. variegata hort.
Família: CRASSULACEAE
Nome científico aceito: Crassula ovata cv. Lemon & Lime 
Origem e Habitat: origem Garden (Nursery produzido cultivar). O habitat natural original desta espécie é o Cabo Oriental, na África do Sul, também na província de KwaZulu-Natal e Moçambique.
Sinônimos:
Nome aceito em base de dados llifle (enciclopédia das plantas http://www.llifle.net/)
Crassula ovata (Mill.) Druce 
Rep. Bot. Soe. Exch. Clube Brit. Isles 1916:. 617 1917
Sinonímia: 12
Crassula ovata (Mill.) Druce 
Cotilédone lutea hort. ex Lamarck
Cotilédone ovata Mill.
Toelkenia ovata (Mill.) PVHeath
Crassula argentea Thunb.
Crassula articulata Zuccagni
Crassula Lucens Gram
Crassula nitida Schonland
Crassula obliqua Aiton
Crassula portulacea Lamarck
Cotilédone ovata f. variegata hort.
Crassula portulacea f. variegata hort.
Cultivares (3):
Crassula ovata cv. Himekagetsu
Crassula ovata cv. Pôr do sol de Hummel
Crassula ovata cv. Ohgonkagetsu
Crassula ovata cv. Pôr do sol
Crassula ovata cv. Lemon & Lime
Crassula argentea f. variegata hort.
Crassula ovata f. variegata hort.
Crassula ovata cv. Obliqua
Crassula ovata cv. Tricolor
Crassula ovata cv. Tricolor Jade
Nomes comuns incluem
INGLÊS: Jade Tree Multicolor, Planta Jade Variegada  
Descrição: Crassula ovata cv. Lemon & Lime (Planta Jade Variegada) é um espetacular cultivar de crescimento lento perto na aparência à planta comum jade mas com listras creme brilhantes nas folhas em forma de colher. Assim como seu primo é um arbusto suculento todo verde com muitas ramificações com um tronco robusto até 120-180 cm de altura. Produz folhas verde claro, obovadas, pontiagudas que são listrados com uma variegação branco. Novo crescimento às vezes tem um toque de rosa sobre o branco. Como a maioria das plantas variadas, é um produtor lento. Esta espécie é às vezes chamado de 'Tricolor' por causa do tom de rosa sobre o novo crescimento.
Cultivo e PropagaçãoÉ uma planta que pode fazer um bom baixo subarbusto de suculentas no jardim, e faz uma boa planta de casa. É amplamente cultivada e não é difícil de cultivar. Eles prosperam com luz brilhante e amplo fluxo de ar. Tolera condições  secas, mas fica ainda melhor com água ocasional. 
Taxa de crescimento: Moderadamente rápido
Solo: Ela cresce melhor em solo arenoso-gritty. Uma boa drenagem é muito importante, pois é propenso a podridão radicular. 
Fertilização: Alimentá-lo uma ou duas vezes durante a época de crescimento com um fertilizante formulado especificamente para cactos e suculentas (pobre em nitrogênio), incluindo todos os nutrientes micro e elementos diluídos a ½ da recomendada no rótulo. 
Rega: É uma planta muito tolerante a seca. Água regularmente na estação de crescimento, mas evitar encharcamento e deixe secar entre as regas. Água com cuidado no inverno, como a planta pode perder suas raízes se o solo permanece frio e úmido por longos períodos. Se cultivadas em um recipiente, rega pela base por imersão do recipiente é recomendado. Deve ter atmosfera muito seca. 
Exposição do Sol: Faz bem em sol filtrado, mas pode ficar em pouco de sombra também. Na sombra a cor folhas permanecerá mais verde, enquanto em duras condições de pleno sol a folhagem pode desenvolver uma coloração rosada. No Verão, manter a calma e fornecer algum abrigo da luz solar direta durante as horas mais quentes. Ele pode ser queimado de sol, se mudou de sombra / estufa em pleno sol muito rapidamente. Ele tende a ficar com base comprida na sombra profunda. 
Tolerância a Geada: Proteger do gelo para evitar cicatrizes. Ela exige uma temperatura mínima de cerca de 5°C, mas em uma geada é resistente até -5°C, durante curtos períodos de tempo, se é em solo seco (temperatura letal no habitat  -6 a -10 °C). Em áreas propensas a geada, crescer em vasos em uma estufa intermediário ou conservatório. 
Usos: Eles fazem plantas maravilhosas em áreas quentes, secas e também crescem bem em recipientes ou pátios ensolarados ou em um canto quente ao lado de uma piscina. 
Pragas e doenças: Pode ser suscetível a cochonilhas e raramente estende. Proteger do frio. 
Propagação: A partir de sementes, mas é aumentada por estacas. Estacas de raiz facilmente. É também possível, plantar as folhas no solo bom, de areia, onde eles vão se enraizar. Espécies desta família muitas vezes se propagam vegetativamente desta forma
Fonte: http://www.llifle.com/Encyclopedia/SUCCULENTS/Family/Crassulaceae/22313/Crassula_argentea_f._variegata
Exemplares de cultivo de locais variados
Imagem: http://galleryhip.com/crassula-argentea-variegata.html
Imagem: http://davesgarden.com/guides/pf/showimage/179549/#b
Imagem: http://www.louistheplantgeek.com/a-gardening-journal/559-crassula-ovata-variegata
Imagem: http://www.sos-cactus.net/t365-crassula-ovata-fma-obliqua-variegata

Neste site encontrei várias espécies, da Crassula ovata. São semelhantes com suas variações. http://davesgarden.com/guides/pf/b/Crassulaceae/Crassula/Ovata/cultivar/0/#b

“Como a natureza sabe, sem diversidade não existe evolução.” (Isaias Raw)

20 de nov de 2012

Crassula portulacea 'Gollum' (Crassulaceae)

Quando comecei a me interessar por suculentas descobri que há muitas espécies. O gênero Crassulas tem espécies bem variadas em formas, tamanhos e cores. 
Crassula portulacea 'Gollum', me chamou a atenção pelo formato peculiar em que a junção de suas pequenas folhas, dão a essa planta suculenta um  aspecto diferente, a princípio me lembrou corais. Surgem outras semelhanças, conforme variação da formação das folhas, como o mesmo formato tubular de algumas flores, e orelhas de animais. A tonalidade verde escuro nas folhas e nas extremidades das bordas arrendondadas, um tom avermelhado, dão um toque singular nesta suculenta. As folhas não crescem muito de tamanho em relação as outras espécies de suculentas mas, a planta vai ganhando novas ramificações e novas folhas que lentamente vão crescendo e aumentando o seu volume. No início eram dois pequenos cachos de muda. Com o tempo ficaram pesadas e fixei suporte no caule, mantendo-as eretas. Também é uma suculenta que fica no peitoril da janela, pois é um local que bate o sol da manhã por umas 3 horas. A maioria das minhas suculentas são regadas 1 vez por semana. Procuro não deixar água nos pratinhos e giro os vasos. Se deixar o vaso na mesma posição, as plantas pendem de um lado e fica com visual inclinado. É a tendência natural das plantas para seu desenvolvimento, buscar o lado que está a luz do sol.
Crassula portulacea 'Gollum' (Crassulaceae )
Nome científico: Crassula ovata (. Mill) Druce cv. GOLLUM . Hort de Origem: Jardim (híbrido produzido em Viveiro) Crassula ovata é também conhecido como Crassula portulacea chamada planta do jade, árvore de jade.
Nomes comuns em inglês incluem: "Gollum Jade", "Trumpet Jade", "Tubo de Jade Hobbit", " Dedos da ET"
Sinônimos:
Crassula portulaceae "Gollum"
Crassula ovata 'Gollum'
Crassula 'argenta'
Crassula convoluta
Crassula "GOLLUM"
Belas ornamentais ​​e que também desenvolve num bonito e muito apreciado bonsai de suculenta. 
Descrição: A Crassula cv. 'Gollum' é uma planta muito compacto considerado um híbrido de C. x portulacea por alguns especialistas. (Um suposto cruzamento entre Crassula argentea  e C. lactea ). 
Esta é uma cultivar semelhante ao anterior cultivar Jade 'Hobbit' mas as folhas de 'Hobbit' são curvadas ao redor, enquanto a cultivar 'Gollum'  tem folhas que são quase tubular e parecem com uma ventosa que lembra o personagem de JRR Tolkien com o mesmo nome. Ambos 'Gollum' e 'Hobbit' são interessantes plantas com troncos que se torna espessa com a idade e desenvolvimento de padrões estaminais interessantes. Estas duas cultivares tem sido considerados idênticos e as pessoas confundem um para o outro e agora no comércio e coleta são diversas e muitas vezes chamado de forma inadequada. Mas seja qual for o nome, é uma variação agradável no jade. 
Hábito: É uma pequena moderação ramificada, arbustiva, ereto, suculenta, que podem crescer lentamente até 50-80 cm de altura por 30-60 cm de largura. 
Haste: Robusta Suculenta, segmentado com ramificação do tronco, que pode ser moldado para criar formas de bonsai espetaculares.
Folhas: Tubular, formato trompete, cada um deles com a extremidade em forma de "ventosa", ordenadas (decussate), verde profundo lisa, brilhante na cor com leves manchas geralmente com margens da folhas vermelhas brilhantes; o novo crescimento é vermelho. 
Flor: Em cachos, pequeno, como estrela, branco ou rosa-branco, com estames cor de rosa. 
Floração: Queda atrasada ao inverno adiantado.
Cultivo: Crassula 'Gollum' é ótimo para vasos e cultivo de bonsais, e o tronco se torna muito espesso com a idade e desenvolve padrões interessantes. As plantas jovens irão quadruplicar de tamanho em apenas um ano. Ele precisa de pleno sol a sombra parcial e uma mistura de solo bem drenado. Na estufa usar um adubo com muita drenagem. As plantas devem ser bem regadas e permitiu secar completamente antes de molhar novamente. Fertilizá-los uma vez durante o período de crescimento com um fertilizante equilibrado diluído para metade do recomendado. Deve passar o inverno em estufa ou dentro de casa (com muita luz). Durante os meses de inverno, as plantas são regadas apenas o suficiente para manter as folhas de murchamento. A razão mais comum para o fracasso no cultivo dessas plantas é rega excessiva. Raramente tem qualquer doença apenas aspecto pálido, e tendem a ficar em torno do tempo de floração primário (inverno para início da primavera), resistente até -1 °C.
Propagação: É propagada por estacas de folhas e tronco. As compensações estão prontamente disponíveis e estacas raízes facilmente, também propagadas por folha-estacas e muitas vezes caídas / quebrados se auto semeará na base.
Crassulas
Este grande grupo são nativos da África do Sul e Madagascar. Suculentas deste grupo variam consideravelmente em tamanho, forma e cor. Algumas variedades crescem apenas uma polegada de altura na maturidade, enquanto outros se tornam grandes arbustos.
DICAS DE CULTIVO
Facilmente cultivada, Crassulas requerem uma mistura de drenagem livre e boa luz para mantê-los compacto, incentivar a cor da folha bem e promover a floração. Água regularmente durante a primavera e o verão, então reduzir a rega durante os meses de inverno. Como as plantas crescem eles podem se tornar desarrumado, e deve ser cortado muito curto ou reiniciado a partir de estacas. Tolerante à seca. Propenso a cochonilhas.
“A Natureza revela-se como força potentíssima, majestade inesgotável de energias que usa de grande variedade na sua ordem e na criação das coisas.” (Duarte Pacheco)

16 de nov de 2012

X Pachyveria scheideckeri (Crassulaceae) ~Híbrido - Pachyphytum bracteosum X Echeveria secunda

Para fazer parte da minha coleção de plantas suculentas, escolhi uma suculenta e quando fui pesquisarcomo de costume, descobri que é originária de cruzamento do gênero Pachyphytum com gênero Echeveria. E dessa hibridação resultou nessa linda suculenta. Aprecio muito, pois cada suculenta tem sua característica peculiar. A disposição de suas folhas em forma de roseta (que umas das minhas preferidas), em tonalidade verde azulado com suave nuance rosácea nas extremidades, a tornam uma suculenta bem atraente. Lembro que quando comprei as folhas eram um pouco diferentes do que estão agora, pareciam mais abertas e não havia a matiz rosácea, nas bordas. É interessante como algumas suculentas de um jeito sutil, passam por variações com o tempo e pela exposição do sol.
Pachyveria scheideckeri  (Crassulaceae)
~Híbrido - Pachyphytum bracteosum X Echeveria secunda
HÍBRIDOS 
São o resultado do cruzamento de duas espécies diferentes. Assim, quando entre as duas palavras encontramos um "x" sabemos que estamos  perante um híbrido. Se o x aparecer antes das duas palavras estaremos perante um híbrido que resulta do cruzamento de duas espécies de dois gêneros diferentes. São casos raros porque em 99% dos casos os híbridos resultam do cruzamento de duas espécies do mesmo gênero. Estes cruzamentos podem ocorrer espontaneamente na natureza ou serem produzidos pelo homem. 
Fonte: http://www.mauroparolin.pro.br/nobotanica.pdf

Pachyverias são híbridos, são um cruzamento entre Pachyphytum e Echeveria. Suculentas neste gênero tipicamente têm rosetas grossas e coloridas. 
DICAS DE CULTIVO produtores de verão. Plantas resistentes requerem livre-drenagem mistura e verão regular. Mínimo de água no inverno. Eles amam a pleno sol e são tolerantes à seca. 
Fonte: http://www.thesucculentgarden.com.au/pachv.html

Os híbridos: Pachyverias (ou Pachyverias ) também são mais comuns do que no cultivo do gênero pai principal (Pachyphytum), mas há muito menos destas, em termos de diversidade do que há Graptoverias. Sobre o único que é comum no cultivo é Pachyveria glauca, um híbrido de Pachyphytum compactum e Echeveria craigiana. Esta é uma planta muito mais durável do que o seu pai Pachyphytum, continua a perder as folhas com facilidade, mas segurando um vasto número mais. É uma planta distintamente azulado com um tronco curto. Vista em centros de jardinagem e de casas, ao lado de seu pai Pachyphytum, é uma planta tão mais bonita, flores são como da Echeveria...caso contrário, poderia supor que fossem a mesma planta, apenas com melhor aparência.
Fonte: http://davesgarden.com/guides/articles/view/1441/

*Híbrido por Peter Scheidecker, em Munique, por volta de 1870, os pais são Pachyphytum bracteosum e Echeveria secunda. Uma planta muito comum que as flores florescem várias vezes por ano. A forma normal tem folhas brancas listradas, há também uma variegada e uma forma de crista. (* Nota:. Van Keppel erra,  x P. 'Scheideckeri' é um híbrido por Louis de Smet, não por Peter Scheidecker MB)

''Em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso.'' (Aristóteles)

13 de nov de 2012

Crassula sarmentosa f. variegata (Crassulaceae)

Ao iniciar a coleção de plantas suculentas, adquiri a Crassula sarmentosa f. variegata, suas folhas eram bem miúdas e bem juntas, depois com o tempo percebi, que se não tomar sol direto, as folhas começam a ficar desconjuntas, com a haste longa (do verde vai se tornando avermelhado) e as folhas muito separadas uma da outra. Agora estão numa proporção adequada e se desenvolvem bem. Sua tonalidade tem nuances de verde claro, amarelo brilhante e nas bordas serrilhadas a matiz rosácea. As folhas em comparação com demais suculentas, são mais finas e a textura é mais dura. Tem um aspecto delicado que agrada pelo todo conjunto que forma esta suculenta.
Crassula sarmentosa f. variegata (Crassulaceae)
Crassulas
Este grande grupo são nativos da África do Sul e Madagascar. Suculentas deste grupo variam consideravelmente em tamanho, forma e cor. Algumas variedades crescem apenas uma polegada de altura na maturidade, enquanto outros se tornam grandes arbustos.
DICAS DE CULTIVO
Facilmente cultivada, Crassulas requerem uma mistura de drenagem livre e boa luz para mantê-los compacto, incentivar a cor da folha bem e promover a floração. Água regularmente durante a primavera e o verão, então reduzir a rega durante os meses de inverno. Como as plantas crescem eles podem se tornar desarrumado, e deve ser cortado muito curto ou reiniciado a partir de estacas. Tolerante à seca. Propenso a cochonilhas. 
Fonte:  http://www.thesucculentgarden.com.au/crass.html

''A beleza ideal está na simplicidade calma e serena.'' (Johann Goethe)

10 de nov de 2012

Echeveria purpusorum (Crassulaceae)

Da minha coleção de plantas suculentas, a Echeveria purpusorum é uma das suculentas preferidas. É uma Suculenta compacta. No início  tinha uma tonalidade puxado para o marrom claro, com pequenas manchas em tom  mais escuro. Conforme seu crescimento, sua coloração tornou-se esverdeada, um verde - oliva em combinação de nuances verde-cinza mantendo as bordas amarronzadas, dando um um aspecto de charme na planta. Me agrada as duas tonalidades. Suculentas dão belas surpresas em suas cores. O caule por ser em espessura ideal, suporta bem a planta, não pende para os lados e se desenvolve uniformemente. (conforme a suculenta se o caule for fino na medida que a planta vai crescendo, com o peso naturalmente se inclina e precisa de um suporte ) Seu crescimento é lento e as características e disposição de suas folhas carnudas formam uma roseta, tornando uma das mais belas suculentas da minha coleção. Deixo no peitoril da janela, onde diariamente toma sol da manhã.
Echeveria purpusorum (Crassulaceae)  
Echeveria purpusorum
Família: Crassulaceae
Nome científico: Echeveria purpusorum A. Berger 
In: Engler Nat. Pflanzenf, ed. 2, vol. 18-A, p. 476, 1930.
Origem: Sul do México, Puebla e Oaxaca (Tipo localidade Puebla: perto de San Luis Atolotitlan)
Habitat: Cresce em áreas muito quentes e secos.
Etimologia: O gênero Echeveria é nomeado após o botânico do século 18 espanhol Atanasio Echeverria Codoy . 
A espécie purpusorum é nomeado após os irmãos Purpus, Carl A. Purpus (1851-1941), um botânico e explorador alemão no México ans EUA e Joseph A. Purpus (1860-1932), horticultor alemão. (Esta espécie foi coletada com ambos trabalhando juntos).
SinônimosUrbinia purpusii Rose In: Contrib. US Nat. Herb., Vol. 13, p. 302, 191 1
Echeveria purpusii K. Schum In: Gartenflora VL (1896) 608, fig. 97
Dudleya purpusii (K. Schum.) Britt. et Rose.
Echeveria purpusorum (normalmente conhecido como um Urbinia) é um dos mais lentos de crescimento das Echeverias e, é necessário cultivá-lo por muitos anos para obter um bom espécime. Seu atrativo está nas folhas lindamente salpicados.
É um dos mais bonitos e distintos de Echeverias por sua folhagem incomum.
Descrição: E. purpusorum é pequeno de crescimento lento e espécies incomuns. Tem suculentas rosetas, até 6-8 cm de diâmetro e de altura, ficam geralmente solitário, mas pode compensar para formar uma moita densa. 
Haste: Muito curto (quase sem caule) pode crescer lentamente até 5-7 cm de altura e cerca de 2 cm de diâmetro.
Folhas: Compacto, curto, e túrgido, ovalada, acuminado, vivaz, um pouco recurvado na ponta, 3-4 cm de comprimento e 1,5 a 2,5 cm de largura, 1 cm de espessura, plano acima arredondado, abaixo imperceptível encurvado na parte de trás, verde oliva ou verde-espinafre, mármore cinza-verde ou branco-verde e salpicado com pequenas manchas irregulares marrom avermelhado-profundo. Margens pontudas translúcido, sem manchas roxo escuro. A epiderme é invulgarmente espessa com células epidérmicas opaco e com poucos estômatos em ambas as superfícies foliares. 
Nota: As plantas que são encontradas em cultivo são bastante uniforme, provavelmente devido à propagação vegetativa de um único original de importação. Quaisquer desvios evidentes a partir da forma padrão, pode-se suspeitar que seja devido ao jardim hibridação, se acidental ou intencional. Numerosos híbridos estão agora no cultivo.
Cultivo: ele pode tolerar sol para sombra, mas em geral quanto mais luz, uma planta leva a melhor, ele irá mostrar suas cores e forma. No entanto, quando se deslocam plantas de condições de pouca luz em pleno sol, muito cuidado com queimaduras de sol. Evitar, mas no caso é mais prático, garantir plantas bem regadas antes de movê-los em um dia nublado. Eles podem tolerar períodos de seca prolongados e sobreviver à seca, sem a necessidade de rega, mas eles vão crescer mais fortes se eles recebem umidade adequada durante a estação de crescimento, evitar que a planta permaneça encharcada (sensível a podridão da raiz ). Use um solo muito poroso, que vai permitir a drenagem rápida. Fertilizantes de liberação lenta com um baixo a moderado teor de azoto são adequados para as safras de primavera e verão, e aplicações de fertilizantes adicionais não são necessários até a primavera. Bom movimento do ar é importante para minimizar os riscos de pragas e doenças, e evitar excesso de umidade em condições de inverno frio, é importante êxito crescente da Echeveria no ambiente de creche. Ele pode tolerar geadas leves, mas durante o inverno é melhor a 5 a 10 °C. 
Com as temperaturas mais frias do outono a tendência das cores da folhagem se tornarem mais intensas do que as do verão, estação de crescimento ativo. 
Propagação: geralmente por sementes, mas se a planta está replantada algumas das folhas de fundo pode ser removido, a fim de tentar propagação da folha, é também uma prática comum para recolher as folhas sobre a haste da flor. No entanto, este não é um dos mais fáceis das espécies de enraizar, muitos desses cortes vai secar sem produzir uma plântula, mas com perseverança é provável conseguir algumas novas plantas. Requer boa drenagem.
Fonte: 

''O belo é uma manifestação de leis secretas da natureza, 
que, se não se revelassem a nós por meio do belo, 
permaneceriam eternamente ocultas.'' (Johann Goethe)

7 de nov de 2012

Haworthia cymbiformis var. setulifera (Asphodelaceae)

Da minha coleção de suculentas, faz parte a Haworthia cymbiformis var. setulifera 
Quando a comprei seu formato era de uma roseta, agora conforme seu crescimento, ficou mais alongada, mas continua bonita. É uma suculenta pequena, suas folhas são moles e translúcidas, e se observa melhor a translucidez na claridade, principalmente quando o sol bate nelas. Das laterais entre as folhas nascem novos brotos. Na floração surgem longas hastes, com flores brancas, delicadas e pequenas. Prefere meia sombra, sem muito sol direto, pois quando a deixei fora de casa, com sol batendo direto, as folhas começaram a ficar com uma tonalidade escura, puxado para o marrom. Costumo regar 1 vez por semana.
Haworthia cymbiformis var. setulifera (Asphodelaceae)
❀O gênero Haworthia tem a nomeação de um botânico e colecionador de plantas suculentas, 
Adrian Hardy Haworth, em homenagem a seu legado.
Cymbiformis – do grego cymba, barco + do latim formis, forma.

Haworthia é um gênero botânico pertencente à família Asphodelaceae.
O gênero é composto de 70 a 90 espécies, algumas com várias subespécies.
Cuidados - Elas são fáceis de crescer. Toleram, em geral, o extremo frio. O solo deve ser poroso, mas não tanto como algumas outras espécies de seu gênero. Gostam de sol, mas não é adequada a pleno sol no verão, especialmente se for em horas mais quentes. No que diz respeito à água, é conveniente se for em horas mais quentes. No inverno, nada de água.
Características - Uma planta pode suportar uma grande seca e, em seguida, recuperar-se, enquanto que uma planta com excesso de água pode morrer em dias.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Haworthia

"A natureza não faz milagres; faz revelações." (Carlos Drummond de Andrade)

2 de nov de 2012

Aeonium decorum variegata (Crassulaceae)

Quando comprei esta Suculenta, sua coloração era de um verde, com nuances amarelos e a borda das folhas em tonalidade rosácea. Agora está nesta tonalidade, mas é uma bela suculenta com formas de uma roseta, do qual aprecio muito. Algumas suculentas mudam de tonalidade, conforme o ambiente e a exposição do Sol. É uma suculenta que não cresce muito, mas do seu caule fino que vai se alongando, nascem novas mudinhas, que vão se propagando. Acho muito bonito esta suculenta com as rosetas formando essa disposição. Sendo umas das primeiras suculentas que comprei, resistiu bem, as diferenças bem acentuadas do clima do Japão. Deixo na sacada com outras suculentas, mas dependendo, no inverno, coloco todas para dentro de casa. 
Após uma pesquisa o nome desta suculenta também é encontrada como Aeonium 'Kiwi', Aeonium haworthii 'Kiwi', Aeonium 'Tricolor', Aeonium haworthii f. variegataAeonium haworthii cv. Kiwi. Ao que parece ser um híbrido, mas não há uma certeza concreta de sua origem.
Aeonium decorum variegata (Crassulaceae)












Aeonium haworthii 'Kiwi' (também chamado de 'Tricolor') é outra planta muito comumente vendido e muito fácil de crescer. Felizmente, este híbrido é de menor crescimento e favorável no jardim do que a planta-mãe. Aeonium 'Kiwi' tem folhas verde e amarelo e rosa que formam rosetas duráveis ​​até 4"de diâmetro, um pouco maior do que as rosetas de Aeonium haworthii. O amarelo (variegação) é apenas sobre as folhas recém-formadas no centro das rosetas, e as folhas mais velhas são todos verde com uma consistente margem de vermelho-rosa. É impressionante e excelente em jardim ou vaso de plantas.
Fonte:http://davesgarden.com/guides/articles/view/1058/#b

Descrição Geral
Aeonium 'Kiwi'
Sua folha colorida de porte baixo desta suculenta perene, destacam-se no jardins de clima ameno. Ele pode ser um híbrido de Aeonium haworthii desenvolvida na Austrália. Aeonium 'Kiwi' produz aglomerado rosetas compactado de folhas verdes carnudas que são ✽Chartreuse quando brotam. As folhas, em forma de pá pouco peludas têm margens carmesim e podem desenvolver variegação rosada no clima frio. As rosetas são suportados em hastes curtas que fixam-se em contato com o solo, resultando em uma densa propagação de folhagem. Talos de floração separados formam aglomerado de flores amarelas estrelados por vezes são produzidos em hastes mais velho, que morrem após a floração.
✽(Chartreuse (no Brasil denominado verde-limão) é uma cor derivada do verde brilhante, meio caminho entre o verde e o amarelo. O nome provém da cor de um licor francês homônimo (chartreuse). A palavra chartreuse não é tradicional do português.)
Esta atraente suculenta é fácil de crescer bem como em vaso de plantas para a casa ou com efeito de estufa, ou sugestivas para jardim em áreas com invernos suaves. Ele prefere pleno sol e solo seco, exigindo sombra parcial em áreas com verões quentes. Ele não gosta de climas quentes e úmidos. As hastes devem ser cortadas após a floração, ou quando tornam-se tortas. Propagar plantas de estacas no final do inverno ou início da primavera.
Fonte:http://www.learn2grow.com/plants/aeonium-kiwi/

Aeonium 'Kiwi' - Formam rosetas de suculentas carnudas, as folhas em aspecto de colher que são brilhantemente coloridos. A princípio as folhas no centro são amarelo pálido e progressivamente as folhas obtem mais verde para o lado de fora da roseta. Os bordos das folhas são vermelhos. Flores amarelas florescem no verão. Planta no sol parcial. Seca tolerante. Deslocamentos livremente. Resistente a 25-30 graus F. 
Esta planta é considerada um híbrido Aeonium haworthii embora sua origem é um mistério. Na Austrália, a planta é chamada de 'Tricolor' e na Europa, ela é chamada de 'Kiwionium'. 
Fonte:http://www.smgrowers.com/products/plants/plantdisplay.asp?plant_id=46

Aeonium (houseleek árvore) é um gênero de cerca de 35 espécies de suculentas, subtropicais plantas da família Crassulaceae. O nome vem do grego antigo "AIONOS" (sem idade). Enquanto a maioria delas são nativas das Ilhas Canárias, alguns são encontrados em Madeira, Marrocos e na África Oriental (por exemplo, no Montanhas Semien da Etiópia).
Aeonium requer pouca água (irrigação a cada 15 dias) e no inverno pode ser reduzido a um máximo de dois meses para sobreviver em condições frias. Ela precisa de sol ou sombra parcial. 
Em geral, os Aeoniums verdes preferem alguma sombra - as roxas como a pleno sol. Eles não vão suportar temperaturas extremas e geada. No verão deve estar do lado de fora para bom crescimento das plantas, e cuidado para quando a temperatura ambiente é inferior a 10ºC.  A Aeonium não necessita de um solo em particular, mas deve ser de drenagem livre. Em solos arenosos planta compactado cresce melhor. Ela cresce bem em solo direto ou em vasos. Quando a planta está localizado diretamente sobre o solo as plantas precisam de abrigo do sol direto (especialmente se eles têm sido fechados para o inverno) em geada ou baixas temperaturas do inverno. 
Fonte: http://en.wikipedia.org/wiki/Aeonium
Excelente blog com informação sobre plantas suculentas e cactos. Abrange outras plantas e jardinagem em geral.  PlantaSonya   http://www.plantasonya.com.br/category/cactos-e-suculentas

"Ninguém é feliz nem infeliz. 
Todo mundo é aprendiz. 
E o maior aprendizado 
é compreender que somos 
como nos fazemos. 
Herdeiros dos nossos atos,
estamos onde nos colocamos, 
pois atraímos as condições que plantamos."
(Sonya Gomes)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...